As mentiras da ciência a serviço do mercado

A doutrina inovacionista cria mitos de que o setor privado pode impulsionar universidades e, assim, gerar emprego. Incompatibilidade é evidente: pesquisas devem atender a toda sociedade, e não apenas ao imediatismo do capital

As novas Ciências, o mundo encantado das “startups”, patentes e o projeto Weintraub do Instituto Millenium¹
Mito 5 – O inovacionismo nas universidades depende de inversões do setor privado, em parcerias do tipo público-privadas com a gestão das universidades públicas brasileiras, para superar a dificuldade da universidade não cumprir sua função que é chegar a ciência e a tecnologia para a sociedade; já o inovacionismo cumpre este papel porque leva o conhecimento técnico-científico embarcado no produto final para os consumidores.
É falso o mito de que a universidade não cumpre seu papel, que é diferente do que a política do inovacionismo propõe; ela forma cidadãos comprometidos com a Ciência & Tecnologia (C&T) de todos os tipos de visão como gente qualificada para pensar e agir na solução de problemas menores e maiores da sociedade. Então o problema está em como os interessados na economia contratam estes profissionais e geram com isto um circuito virtuoso. Com frequência, confunde-se o inovacionismo na universidade com tendências mais amplas de investimento privado em C&T. São dois movimentos diferentes.
Nas ultimas duas décadas, como tendência geral, o investimento de empresas privadas em pesquisa universitária no Brasil e no mundo, vem declinando. Em seu lugar, aumentaram as inversões em laboratórios próprios das corporações e grandes empresas. As áreas de pesquisas acadêmicas diante desta tecnociência comercial e industrial, são criticadas. Tanto pelos empresários quanto a mídia, paga pelos interesses corporativos, critica a universidade pública porque gera ciência “muito complicada” no sentido de não serem conhecimentos imediatamente transformados em produtos comercializáveis.
Fonte: https://outraspalavras.net/…/as-mentiras-da-ciencia-a-serv…/

Você pode gostar...

Deixe uma resposta