A Universidade Federal do ABC (UFABC), apesar de jovem, já é um patrimônio da sociedade brasileira. Criada em 2006, a UFABC figura, hoje, entre as melhores universidades do país em todos os rankings nacionais e internacionais. Além da sua comprovada excelência, a UFABC foi primeira universidade do Brasil a propor, antes da legislação nacional, o ingresso de 50% dos seus estudantes por meio de cotas para escola pública, afrodescendentes e indígenas. Por isso, e por outras medidas inovadoras, a UFABC é um símbolo do compromisso das universidades públicas do país com a inclusão social.

É importante frisar que nada disso teria sido possível sem o comprometimento inquestionável e incansável de toda a sua comunidade universitária, formada por alunos, docentes e técnicos-administrativos. É essa comunidade que, hoje, demonstra crescente preocupação com a demora do Ministério da Educação e da Presidência da República, em nomear o novo reitor eleito da Universidade.

Pelas regras vigentes desde a Constituição de 1988, as Universidades federais brasileiras elegem, em um colégio eleitoral formado por pelo menos 70% de docentes, uma lista com três nomes que, através do MEC, encaminha à Presidência da República. Como acontece com outras instituições públicas, se o colégio eleitoral elege majoritariamente um nome, a expectativa é que a decisão seja confirmada pelo MEC e pela Presidência. Entre outros motivos porque a gestão de instituições complexas como essas exige habilidades e qualificações que ninguém melhor do que a comunidade em seu conjunto para avaliar, dado também o profundo conhecimento que tem dos diferentes candidatos.

Nesse sentido, vale notar que o atual reitor eleito da UFABC, professor doutor Dácio Matheus, foi escolhido praticamente por unanimidade pelo colégio eleitoral. Em termos mais precisos, Dácio tornou-se o primeiro da lista em um cenário em que os dois outros nomes receberam apenas um voto. Antes disso, uma ampla e democrática pesquisa não vinculante com as três categorias da universidade – professores, técnicos administrativos e estudantes – também confirmou, por maioria absoluta de votos, a preferência da comunidade universitária pelo nome do professor Dácio Matheus.

Diante disso, as entidades representativas dos docentes, técnicos administrativos e alunos da UFABC gostariam de manifestar sua preocupação com a demora da nomeação do professor Dácio Matheus. Temos convicção de que o MEC e a Presidência da República sabem da importância que a nomeação do professor Dácio Matheus tem para a comunidade universitária da UFABC e, consequentemente, para toda a comunidade universitária nacional e internacional. A autonomia universitária, assim como a democracia, foram valores essenciais para a ciência e a educação ao longo da história, não poderá ser diferente no século XXI.

Maria Caramez Carlotto
Presidenta da Associação dos Docentes da UFABC

Renata Silva
Coordenadora-geral do Sindicado dos Trabalhadores das Universidades Federais do ABC

Isis Mustafa de Assis
Diretório Central dos Estudantes da UFABC

http://www.adufabc.org.br/wp-content/uploads/2018/03/NOTA-ENTIDADES-ELEICOES-REITOR-711x400.pnghttp://www.adufabc.org.br/wp-content/uploads/2018/03/NOTA-ENTIDADES-ELEICOES-REITOR-150x150.pngComunicaçãoADUFABCDestaqueA Universidade Federal do ABC (UFABC), apesar de jovem, já é um patrimônio da sociedade brasileira. Criada em 2006, a UFABC figura, hoje, entre as melhores universidades do país em todos os rankings nacionais e internacionais. Além da sua comprovada excelência, a UFABC foi primeira universidade do Brasil a...Associação dos Docentes da UFABC - Seção Sindical do ANDES-SN